Publicidade

Cidade de Corinto (Corinthus): Beleza, Idolatria e Corrupção

 Cidade de Corinto (Corinthus): Beleza, Idolatria e Corrupção


Corinto, satisfeito, ornamento, beleza. 

Notável cidade da Grécia, no istmo, que une o Peloponeso (a Moreia) ao continente. Em uma vasta rocha, elevando-se abruptamente sobre dois mil pés acima do nível do mar, estava a cidadela, chamada Acrocorinthus. Corinto tinha dois portos, Cenchrere, a cerca de oito milhas de distância no Golfo Oriental ou Sarônico (Golfo de Gigina) e Lechasum no Golfo Ocidental ou Coríntio (Golfo de Lepanto), a uma milha e meia de distância.

Publicidade

Situada assim vantajosamente, Corinto tornou-se rica e forte. Depois sofrendo vários reveses, a cidade foi completamente destruída pelo general romano Múmio, 146 aC Por um século ela foi devastada, apenas alguns templos e a cidadela remanescente. 

No ano 46 aC Júlio César restaurou-a e fez dela a capital romana da província da Acaia. Foi repovoada em parte por libertos de Roma. Sua antiga beleza em breve retornou. Esta nova cidade era uma praça regular de quarenta estádios no norte ao lado da cidadela, com paredes em três lados. 

Magníficos templos e edifícios públicos, em parte erguidos das ruínas, em parte recém-construídos,

Adornava-o, especialmente o mercado. A estrada para a Acrópole, feita ao longo por sinuosos, passava por templos, altares e estátuas, e na cidadela ficava o esplêndido templo de Vênus, adornado com uma imagem panóplia da deusa. A fortaleza foi considerada a mais forte da Grécia. Apresentando uma franja perpendicular ao norte, aproxima-se de todas as outras os lados eram íngremes e bem fortificados. A sua situação assegurou-lhe extensas comércio, e fez dela o posto e estrada dos produtos naturais e artísticos do Oriente e do Ocidente. Tornando-se populoso e muito rico,

Corinto também se tornou luxuosa e corrupta para um provérbio. Incendiada pela adoração de Vênus, a sensualidade prevalecia de forma assustadora. A arte era cultivada, e sua arquitetura, suas esculturas e seus vasos de renome mundial.

Esta breve descrição da cidade ajudará muito em uma compreensão mais completa das passagens das Escrituras.

Cidade de Corinto (corinthus): Beleza, Idolatria e Corrupção

Veja também

  1. Resumo de 1 Coríntios
  2. Resumo de 2 Corintos


A visita de Paulo a Corinto é narrada em Atos 18. Paulo fundou uma Igreja aqui, e o Senhor tinha "muita gente". Ver 2 Cor. 12:14; 13: 1. 

Apolo visitou Corinto, Atos 19:1. Ocorreu um cisma na Igreja, 1 Cor. e, 12; 3:4. As imoralidades da Igreja, 1 Cor. 5:1 Cor. 11 

A Igreja escreveu a Paulo, 1 Cor. 7:1. Sua alienação, 2 Cor. 10. Abuso de ordenanças, 1 Cor. 11: 22 e 14. Heresias em Corinto, 1 Cor. 15:12; 2 Cor. 11. Processos judiciais, 1 Cor. 6. Liberalidade da Igreja,  2:9.  Visita de Tito, 2 Cor. 8; 12:18. Erasto de Corinto, Rom. 16:23; 2 Tim. 4:20. Stephanas, 1 Cor. e, 16; 16:15, 17. Crispo, Atos 18:8; 1 Cor. e, 14; Caio, Rm.16:23; 1 Cor. i, 14. 

Embora possa ser visto de 1 Cor. 12:2, que os gentios predominaram na Igreja, nós podemos inferir de Atos 18, que havia muitos convertidos judeus. A Igreja era, sem dúvida, portanto, composta pelos libertos romanos, os gregos nativos e os judeus. O elemento judaizante era forte, e o partido espírito lutou pelo domínio, com as palavras de ordem Apolo, Pedro e Paulo. Paulo nobre e sabiamente reprova essas facções nos capítulos terceiro e doze de 1 Coríntios, acrescentando o magnífico elogio da caridade ou do amor, no décimo terceiro capítulo. 

No ano 268 a.C, Corinto foi queimada pelos godos, e em 525 foi destruída por um terremoto. A partir desse momento a cidade suportou muitos reveses, até que em 1715 os turcos tomaram posse dele, e o mantiveram até o período da revolução grega, quando se tornou a sede do novo governo, embora tomado e retomado mais de uma vez durante a guerra.  

 Permanece entre as antigas ruínas uma aldeia miserável chamada Gortho, composta de casas miseráveis, cujos ocupantes abandonados "se movem como sombras pelas ruas". Cos. Veja Co'os.




👉 5 Livros sugeridos para leitura. Clique e Adquira!


Compartilhe nas Redes Sociais!
CompartilheCompartilhe Compartilhe


Autor: Ronaldo G. Silva é Bacharel em Teologia e Professor de Homilética sendo Pós-Graduado em Educação pela UFF. Entusiasta do trabalho de evangelização e divulgação da Palavra de Deus.
 

Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade

Um Site para o Líder, Pregador, EBD, Seminário, Estudo Bíblico, Sermão, Palavra Introdutória, Saudação, Mensagem e Assuntos Bíblicos para pregar a Palavra de Deus. Versões utilizadas Almeida: ACF, ARA ou ARC (SBB) e Bíblia Livre (BLIVRE)