Publicidade

Pregação A Esperança dos Justos Salmos 73

 Pregação A Esperança dos Justos Salmos 73

O Salmo 73 é intitulado “Uma canção de Asafe”. E junto com o Salmo 10, 37 e 49 - o Salmo 73 aborda um problema espinhoso... "Se Deus é bom, justo e onipotente- então por que os justos às vezes sofrem e os ímpios muitas vezes prosperam?"

O salmista estava andando pela vista, não pela fé. Ele veio perto de negar o que sabia, por causa de situações que não sabia explicar.

Publicidade

Asafe tornou-se tão míope. A perspectiva dele é míope. Ele perdeu de vista o quadro geral. Ele precisa ver a vida de uma perspectiva eterna...

Como no caso de Jó, há momentos em que os ímpios prosperam e os justos sofrem, e esperamos em Deus uma explicação. Mas a fé nem sempre tem uma razão. Deus nem sempre nos oferece uma. Deus é soberano e Ele faz o que Lhe agrada sem obter nossa permissão ou nos dando uma explicação.

O restante do Salmo 73 revela a mudança de ponto de vista que supera Asafe depois que ele leva um tempo para alinhar seus pensamentos com os pensamentos de Deus.

Lembre-se de como o Salmo 73 começa: “Meus passos…quase escorregou. O salmista quase escorregou porque não reconheceu que os ímpios andam em “lugares escorregadios”.

Somos propensos a falsas suposições e conclusões erradas. Precisamos do conselho de Deus. A melhor maneira de passar pela vida é segurando na mão de Deus.

Caros irmãos e irmãs, o Salmo 73 nos leva a refletir sobre a presença aparente do mal na vida dos justos e sobre a fidelidade de Deus em meio a todas as circunstâncias. Este salmo foi escrito pelo salmista Asafe e nos convida a olhar além das aparências e a confiar na justiça e bondade de Deus. Vamos explorar juntos este salmo e como ele pode nos fortalecer em nossa jornada de fé.

1: A aparente prosperidade dos ímpios

O salmista começa o Salmo 73 expressando sua perplexidade diante da aparente prosperidade dos ímpios. Em versículo 3, ele diz: "Porque eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios." Muitas vezes, somos tentados a invejar a vida dos ímpios, pois parece que eles têm tudo o que desejam. No entanto, o salmista nos lembra que a verdadeira prosperidade não está nas coisas que possuímos, mas em nossa relação com Deus.

2: A compreensão da soberania de Deus

No meio do Salmo 73, o salmista chega a uma compreensão mais profunda da soberania de Deus e de sua justiça. Ele percebe que a vida dos ímpios é como um sonho passageiro e que, no final, eles serão julgados por suas más obras. Em versículo 17, Asafe diz: "Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles." Compreender a soberania de Deus é essencial para nossa fé, pois nos ajuda a confiar que Ele tem controle sobre todas as coisas e que sua justiça prevalecerá.

 3: A confiança na presença de Deus

No final do Salmo 73, o salmista expressa sua confiança na presença de Deus em sua vida. Ele reconhece que sua verdadeira felicidade está em estar próximo a Deus e em confiar em seu amor e proteção. Em versículo 28, Asafe diz: "Mas, para mim, bom é estar junto a Deus; no Senhor Deus ponho o meu refúgio, para proclamar todos os seus feitos." A confiança na presença de Deus é uma fonte de força e consolo em meio às dificuldades da vida.

4: A verdadeira prosperidade dos justos

No versículo 25, o salmista afirma: "A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti." Aqui, o salmista nos lembra que a verdadeira prosperidade está em ter um relacionamento profundo com Deus. Os justos podem passar por dificuldades e privações nesta vida, mas a sua verdadeira riqueza está em conhecer e amar a Deus. A verdadeira prosperidade está em ter a paz que excede todo o entendimento, mesmo em meio às dificuldades.

5: A esperança dos justos na eternidade

O salmista nos lembra que a prosperidade dos ímpios é passageira, mas a esperança dos justos é eterna. No versículo 26, ele diz: "A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre." Os justos podem passar por lutas e aflições nesta vida, mas a sua esperança está na eternidade com Deus. Eles sabem que esta vida é apenas uma preparação para a vida eterna e que todas as coisas serão restauradas na presença de Deus.

Pregação A Esperança dos Justos Salmos 73

Veja também

  1. O que Aprendemos com o Amor de Pedro por Jesus? João 21:1-19
  2. Compromisso com Deus.
  3. Bons Frutos e Boas Obras na Bíblia
  4. Culto de Ação de Graça e Consagração

Conclusão:

Devocional: o Salmo 73 nos ensina a olhar além das aparências e a confiar na justiça e fidelidade de Deus. Mesmo quando a vida dos ímpios parece prosperar, podemos confiar que Deus é soberano e justo, e que sua presença em nossa vida é nossa verdadeira felicidade. Que possamos, como Asafe, buscar sempre estar perto de Deus e confiar em seu amor e proteção. Que Ele nos conceda a graça de uma fé forte e confiante, mesmo em meio às dificuldades da vida. Amém.




👉 5 Livros sugeridos para leitura. Clique e Adquira!


Compartilhe nas Redes Sociais!
CompartilheCompartilhe Compartilhe


Autor: Ronaldo G. Silva é Bacharel em Teologia e Professor de Homilética sendo Pós-Graduado em Educação pela UFF. Entusiasta do trabalho de evangelização e divulgação da Palavra de Deus.
0 comments:
 

Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade

Um Site para o Líder, Pregador, EBD, Seminário, Estudo Bíblico, Sermão, Palavra Introdutória, Saudação, Mensagem e Assuntos Bíblicos para pregar a Palavra de Deus. Versões utilizadas Almeida: ACF, ARA ou ARC (SBB) e Bíblia Livre (BLIVRE)