Publicidade

Estudo Bíblico sobre Os Evangelhos

Estudo Bíblico sobre Os Evangelhos

Os Evangelhos 
Os Evangelhos são o coração das Escrituras.
Os quatro Evangelhos são Mateus, Marcos, Lucas e João.
Os Evangelhos trazem a Boa Nova de Jesus Cristo.
Eles também anunciam que Jesus veio para cumprir as promessas que Deus fez aos nossos ancestrais e para vencer a escravidão do pecado e da morte.
 

Características dos Evangelhos 

Os Evangelhos são a principal fonte de informação sobre a vida e os ensinamentos de Jesus
Os Evangelhos são a revelação de Deus .
Quando encontramos Jesus nos Evangelhos, encontramos Deus  mais definitivo e aperfeiçoar Apocalipse.
Cada Evangelho apresenta uma  perspectiva única sobre  Jesus.

Os Evangelhos :
A palavra Evangelho deriva do grego evangelion , que significa “Boas Novas”;
É uma nova categoria literária criada pela comunidade cristã primitiva;
O Evangelho é um anúncio da pessoa de Jesus…;
Assim, no NT existem quatro versões do mesmo Evangelho / “Boas Novas”.

Os Evangelistas :
Os autores …. são chamados de “Evangelistas”;
Os evangelistas acreditam na pessoa de Jesus de Nazaré;
Eles proclamam a “Boa Nova” sobre a pessoa de Jesus;
Seu propósito é teológico (João 20.31);

Os Evangelhos Sinópticos 

Mateus, Marcos e Lucas são chamados de Evangelhos sinóticos.
Sinóptico vem de uma palavra grega que significa“ver o todo junto. ”
Esses Evangelhos são semelhantes em estilo e compartilham muito do mesmo conteúdo.
Muitos estudiosos acreditam que Lucas e Mateus usaram Marcos como fonte ao escrever seus Evangelhos.
Alguns estudiosos também propõem que Lucas e Mateus podem ter usado uma segunda fonte conhecida como Quelle ou Fonte Q.

A Teoria dos Dois Documentos (3) :

Source Criticism 
Reconhecimento de que Marcos foi a fonte da estrutura cronológica em Mateus e Lucas;
Uma segunda fonte que Mateus e Lucas usaram;
Essa fonte, uma coleção de ditos de Jesus, é chamada de Q (do termo alemão para fonte ( quelle );
Fontes M e L ;


Estudo Bíblico sobre Os Evangelhos


O Evangelho de Mateus 

Judeu cristão bem versado nas Escrituras Hebraicas
 
Data Aproximada de Autoria:

85 AD
 
Audiência pretendida:

Comunidade mista de judeus cristãos e gentios
 
Problemas resolvidos: Uma possível rejeição e até mesmo alguma perseguição aos cristãos judeus por sua fé em Jesus
 

PERGUNTA CHAVE:   Como sabemos que Jesus é o Messias - o Cristo? 
VERSÍCULO-CHAVE:   “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (16: 16-19). 
TEMA-CHAVE:   Jesus é o culminar das promessas feitas pelos profetas ao longo de mil anos. 
FRASE-CHAVE:   “O reino dos céus” aparece 32 vezes em Mateus, mas em nenhum outro lugar do NT.
CONTRIBUIÇÃO:   Mateus desenvolve o tema do reino porque o leitor judeu se perguntaria por que Jesus não estabeleceu o reino prometido se Ele era de fato o Messias. 
ENSINAMENTOS:   Sessenta por cento dos 1.071 versículos de Mateus contêm as palavras faladas por Jesus. 
ESTRUTURA:   Mateus registra cinco discursos principais , cada um concluindo com a frase “quando Jesus havia terminado”. 

O Sermão da Montanha (5-7)
Instrução dos Discípulos (10)
Parábolas do Reino (13).
Termos do discipulado (18).
O Sermão do Monte (24-25).

Mateus e a Imagem de Jesus 

Mateus queria que seus leitores cristãos judeus soubessem que acreditar em Jesus era uma continuação de sua tradição.
Mateus destaca Jesus como o cumprimento de muitas esperanças e profecias do Antigo Testamento.
Ele valida a comunidade de ligação para as promessas da aliança do passado, justificando a sua nova devoção a Cristo e sua missão.
Jesus é apresentado com laços claros com a ancestralidade judaica. A genealogia no início do Evangelho é um exemplo.


O Evangelho de Marcos 


Cristão gentio que pode ter sido um discípulo de Pedro
 
Data Aproximada de Autoria:

AD 65 - 70
 
Audiência pretendida:

Cristãos não judeus
 
Problemas resolvidos:

Membros da comunidade sendo perseguidos (até a morte) por suas crenças
 
Imagem em domínio público

Marcos inclui uma aura de segredo neste Evangelho conhecida como o segredo messiânico.
Aqueles que deveriam reconhecer Jesus como o Messias falham em fazê-lo.
Marcos enfatiza a humanidade de Jesus.
Central para Mark ' cristologia s é a imagem de Jesus como o Servo Sofredor.
O verdadeiro discipulado deve imitar Jesus em seu ministério e em seu sofrimento.

PERGUNTA CHAVE:   Por que Jesus veio à Terra? 
VERSÍCULO-CHAVE:   “Quem desejar tornar-se grande entre vocês, será vosso servo” (10: 43-45). 
TEMA-CHAVE:   Jesus é o Servo ativo, compassivo e obediente que ministra constantemente às necessidades físicas e espirituais dos outros. 
FRASE-CHAVE: euthus,   “imediatamente” ou “imediatamente” ocorre 42 veze
CONTRIBUIÇÃO:   usa narrativa rápida para retratar o Servo mergulhador em ação - com mais ênfase na ação do que nas palavras. 
MILAGRES:   Marcos registra mais da metade dos 35 milagres de Cristo. 
LUGAR:   Quase 40 por cento deste Evangelho é dedicado a um relato detalhado dos últimos oito dias da vida de Jesus, culminando em Sua ressurreição.
  
ESTRUTURA:   
Marcos 1-4 enfatizam as palavras do Servo. 
Marcos 5-10 enfatiza as obras do Servo. 
Marcos 11-16 enfatiza o sacrifício do Servo.

O Evangelho de Lucas 

Gentio convertido ao Cristianismo, e o autor que escreveu não apenas o Evangelho de Lucas, mas também os Atos dos Apóstolos
 
Data Aproximada de Autoria:

80 - 90 AD
 
Audiência pretendida:

A audiência tanto do Evangelho de Lucas quanto dos Atos dos Apóstolos é identificada como Teófilo, que significa “ amante de Deus. ”
 
Imagem em domínio público

Lucas e a Imagem de Jesus 

Lucas descreve Jesus como o Salvador compassivo que acolhe a todos.
Muito de Jesus e seu ministério e pregação é direcionado para a situação dos anawim.
Lucas enfatiza a presença de mulheres no ministério de Jesus.
Os últimos grupos que recebem atenção especial no Evangelho de Lucas são os doentes e pecadores.

PERGUNTA CHAVE:   Como sabemos que Deus se importa conosco? 
VERSÍCULO-CHAVE:   “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (19:10). 
TEMA-CHAVE:   Jesus é o Filho do Homem perfeito que veio “para buscar e salvar o que se havia perdido. 
FRASE-CHAVE: ovelha perdida, moeda perdida, filho perdido - a palavra “perdido” ocorre 7 vezes.
HISTÓRIAS:   Lucas nos fala de Zacarias, o Bom Samaritano, o Filho Pródigo, o cobrador de impostos arrependido, Zaqueu, e os dois discípulos na estrada de Emaús. 
LUGAR:   Lucas constrói a credibilidade do Evangelho na plataforma de confiabilidade histórica - e relatos de testemunhas oculares.
 
ESTRUTURA:   Lucas pode ser dividido em quatro seções. 
A Introdução do Filho do Homem (1-4).
O Ministério do Filho do Homem (4-9).
A rejeição do Filho do Homem (9-19).
A Crucificação e Ressurreição do Filho do Homem (19-24).

O Evangelho de João 

O Evangelho de João não é um dos Evangelhos sinópticos.

Quem escreveu isso:

Muitas pessoas atribuem este Evangelho a um homem chamado João, “ o [discípulo] a quem Jesus amava ” (João 13:23), mas o autor real é desconhecido.
Muitos acreditam que o autor era membro de uma comunidade cristã fundada pelo discípulo amado.
Sua tradição e ensinamentos representam toda a comunidade joanina, e não apenas um indivíduo.
 
Data Aproximada de Autoria:

AD 90 - 100
 
Imagem em domínio público

Características de João

Objetivo duplo:

Para evangelizar gentios e judeus
Para fortalecer a fé da comunidade local, bem como dos cristãos em todos os lugares

Na primeira metade do Evangelho,  
Jesus ensina principalmente por meio de  sinais que revelam sua identidade.
Esses sinais são encontrados em João  1:19 - 12:50 e são conhecidos como  o Livro dos Sinais.
A segunda metade do Evangelho  enfoca a Paixão, Morte,  Ressurreição e Ascensão - os eventos que glorificam Jesus.
Isso é conhecido como o Livro da Glória  e é encontrado em João 13: 1 - 20:31.

ESTRUTURA:   prólogo teológico, sete afirmações “Eu sou” e sete sinais. 
SETE SINAIS:

1. Água no vinho

2. Curando o filho do nobre

3. Curando o paralítico

4. Alimentando a multidão

5. Caminhando sobre a água

6. Visão para o homem cego de nascença

7. Ressurreição de Lázaro
 
Os Evangelhos sinópticos enfatizam a humanidade de Jesus.
O Evangelho de João enfatiza a divindade de Jesus.
João usa alta cristologia - um termo usado para descrever como João proclama desde o início que Jesus é Deus, a Palavra Eterna do Pai. 
 


Versões Bíblicas consultadas ou citadas: Almeida Revista e Atuzalizada ARA-SBB, Almeida Revista e Corrigida ARC-SBB, Bíblia Livre (BLIVRE), Tradução livre do Inglês e outras citadas no texto.



👉 Cursos Indicados:




Compartilhe nas Redes Sociais!
CompartilheCompartilhe Compartilhe

Autor
Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Boas Novas - FATEP.


0 comentários:
 

Pesquisar
Sobre | Termos de Uso | Política de Cookies | Política de Privacidade

Didaske - Estudos Bíblicos OnLine

1 e 2 Reis 1 e 2 Crônicas 1 e 2 Pedro 1 e 2 Samuel 2 Timóteo Atos Daniel Eclesiastes Efésios Esdras Êxodo Filipenses Gênesis Hebreus Isaías Jeremias Jó João Jonas Josué Lucas Malaquias Mateus Números Provérbios Salmos Sofonias Zacarias